18 de nov de 2007

Qual é seu tipo?


 

Há quem prefira louros.

Há quem prefira morenos.

Há quem prefira novos.

Há quem prefira velhos.

Há quem prefira surfistas, dermatologistas ou acionistas.

Há quem faça questão de contas bancárias, há quem prefira apenas um amor e uma cabana.

Há quem prefira músicos.

Há quem tenha fixação por homens de terno, por tatuados ou por sarados sem camisa.

Existem as que gostam de figurinos perturbados, as que querem sair na capa de 'Caras', as que preferem junkies, depressivos ou sociopatas.

Há quem goste mesmo dos sensíveis.

Dos lindos-de-morrer.

Dos viciados em adrenalina.

Dos que nos tratam bem.

Dos que tenham um bom papo.

Dos super cheirosos.

Dos que cozinham.

E há quem tenha predileção pelos que acabam com a nossa auto-estima.


 

As opções não param (e a gente acha que pode marcar um X e construir um amor perfeito): com ou sem barba.

Fumante ou não.

Careta, moderno ou mauricinho.

Magro, gordo ou sarado.

Inteligente ou semi-burrinho.

Blusa para dentro ou para fora da calça. Camisa de botão ou havaianas.

Rio ou São Paulo.

Mar ou cachoeira. Gato ou cachorro.

Por cima ou por baixo. (E com muitas variações, por favor!).

O que importa é que nada disso importa.

Gosto não se discute, essa é a verdade.

Cada um, cada um.

Desde q o mundo é mundo as pessoas criam seus 'tipos' bem lá no fundo da mente.

Homens e mulheres é claro.

Mas os 'tipos' mudam porque - por dentro - todo mundo muda.

O tempo todo. (Graças a Deus!).

E quanto mais o universo de possibilidades se expande (porque você experimenta diferentes 'tipos' por ai), mais vc se concentra em detalhes que realmente fazem a diferença.

Outro dia me perguntaram qual era o meu 'tipo'.

Aí descobri: eu não tenho um 'tipo'. (não fisicamente falando). Mas, peraí. Para mim, tanto faz que seja louro ou moreno, alto ou baixo, melhor que goste de chinelos e faça um peixe gostoso, mas o que conta não é isso.

Para mim, homem tem que pensar! Não um pensar que racionalize (embora seja de grande importância homens que nos tirem do nosso grande abismo emocional).

Mas um pensar que sinta. Um entender que saiba antes mesmo do pensar. Difícil? Acho que não.

É um saber quase sem querer. Que só de olhar, já se sabe. Que só de escrever, já sente. Ou se não sabe, sabe que não sabe e não liga a mínima pra não entender.

Porque mulher não foi feita pra se entender. Mulher foi feita pra se amar. Não acham?


 

*Tai uma boa conclusão. Se eu tenho um 'tipo', acho que nada mais é do que um cara que goste de mim. Que me admire, me assuma e seja guerreiro.

Porque - meus amores - eu não sou brincadeira!


PS: Que bons ventos nos tragam momentos felizes 'pra sempre...'


 

Compartilhe este post:
StumpleUpon Ma.gnolia DiggIt! Del.icio.us Blinklist Yahoo Furl Technorati Simpy Spurl Reddit Google
Buzz

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário!!

Deixe seu comentário!!